O homem só não se basta!

Se pensarmos bem, essa frase pode parecer contrária a tudo o que temos experimentado como sociedade no mundo moderno. Afinal de contas, temos caminhado numa direção onde o indivíduo se torna cada vez mais centralizado em si mesmo, individualista e auto-suficiente. Detalhes bobos de nosso cotidiano nos mostram que conforme a tecnologia avança trazendo conforto e praticidade, a sensação de solidão também aumenta, mesmo quando as pessoas estão cercadas umas das outras como, por exemplo, nas grandes metrópoles. Poderíamos citar muitos e muitos fatores do nosso cotidiano que induzem o indivíduo a viver centrado em si mesmo, nas suas próprias necessidades, evitando aos poucos o contato com outras pessoas tornando-o extremamente superficial em seus relacionamentos interpessoais. No entanto, gostaria de me ater ao que Deus planejou, desde o início, para mim e para você.

O título desse texto não é uma expressão qualquer. É a tradução mais apropriada para o que Deus disse em Gênesis 2.18, que conhecemos melhor por “Não é bom que o homem viva só”. Deus sempre soube dessa verdade. No entanto, caminhando pelos registros de Gênesis, percebemos que era do interesse de Deus que o homem também chegasse a essa constatação. E Ele armou um plano para que Adão percebesse essa necessidade.

Diz o versículo 19 do capítulo 2 que depois de ter formado a terra, os animais do campo e as aves do céu, Deus deu uma ordem a Adão. Adão deveria pôr nome em todos os animais. É interessante ressaltar que no Antigo Testamento, dar nome a alguém significava exercer autoridade sobre esse alguém. E era justamente esse o plano de Deus quando disse “Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra” (Gên 1.28). Imagine então Adão empenhado nessa grande missão: “Esse vai se chamar galo, essa vai se chamar galinha… Esse vai se chamar leão, essa vai se chamar leoa… Esse vai se chamar cavalo, essa vai se chamar égua…”. Eu imagino que, observando os casais de cada espécie, Adão começou a ficar confuso, alguma coisa estava errada. Foi nesse contexto que Adão percebeu que, no caso dele, não havia ninguém que o correspondesse e o auxiliasse (Gên 2.20). A verdade que Deus já sabia, Adão conseguiu perceber também: “eu não me basto sozinho”!

Não precisamos ir tão longe para constatarmos que a essência de Deus está na unidade da trindade (Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo) e que, por isso, ao mesmo tempo em que Ele é um, Ele é três. Isso nos faz pensar que o homem, sem a companhia da mulher, não representava bem a Deus. A criação não estava terminada e o homem precisava perceber essa necessidade – e ele percebeu. Por isso, o mistério da essência de Deus que nos torna à Sua imagem e semelhança é refletido justamente na capacidade e necessidade que temos nos relacionarmos uns com os outros. Esse sempre foi o plano de Deus, desde o início. Jesus mesmo, quando orou ao Pai, disse: “Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um” (João 17.22).

Querido, você não se basta. Por mais que o mundo diga que sim e tente te afastar das pessoas, quem sabe até por conta de traumas causados pelas falhas e defeitos dos outros, sozinho você não é completo. Quem sabe você, até mesmo por resistência e autodefesa, esteja tentando viver uma vida cristã longe das pessoas alegando que Deus seja sua melhor e única companhia. Em amor eu te digo: seu relacionamento com Deus não está completo. A comunhão com Deus está extremamente interligada aos nossos relacionamentos interpessoais e é por meio dessa unidade que Ele se manifesta. São nas lutas e nas vitórias desse grande desafio que Deus nos aperfeiçoa. São nos embates da vida, convivendo com diferenças, abrindo mão quando necessário, exercendo a mordomia e o perdão que nos tornamos pessoas melhores, e não sozinhos. Como diz em Provérbios 27.17: “Como o ferro com ferro se afia, assim o homem, ao seu amigo”.

Eu, sinceramente, não sei quem é você e não conheço a sua história, mas em tempos de isolamento e individualismo, precisamos resgatar a essência do que realmente somos e só vamos conseguir isto se nos relacionarmos uns com os outros de forma profunda e real. Esse é o plano de Deus, desde o princípio.

Eu não me basto sozinho. Você não se basta sozinho. Juntos, somos melhores!

Thiago Pires

Anúncios

~ por ministerioentrejovens em março 15, 2011.

2 Respostas to “O homem só não se basta!”

  1. “Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor.”
    (1 João 4.12)

    A mais pura verdade, Thiago ^^

    P.S.: To na foto, legal =]

  2. Sempre acreditei que !Juntos somos melhores!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: