Série Josias (2 de 4): Perdemos a Bíblia!

Conforme iniciamos no final do ano passado (clique aqui para ler a primeira parte do estudo), vamos continuar pensando um pouco sobre o reinado de Josias e sobre algumas lições práticas que podemos aprender sobre seus atos.

Como vimos anteriormente, Josias foi um rei diferente de seu pai e seu avô, que por cerca de 57 anos conduziram o povo de Judá por caminhos distantes do Senhor. Ele escolheu ser diferente. Uma das marcas de seu reinado foi quando ordenou a restauração do templo do Senhor. A obra de acabar com a idolatria incluía a necessidade de reformar o templo tornando-o disponível para a adoração do Deus vivo.

Quando lemos 2 Reis 22.8 observamos um episódio impressionante: o Livro da Lei é encontrado. Estudos nos mostram que provavelmente esse livro eram os cinco livros de Moisés (Torá). A história nos mostra que Josias teve o desejo de ouvir o que o livro dizia e pediu para Safã fazer essa leitura (provavelmente passagens do livro de Deuteronômio escolhidas pelo rei). As palavras trouxeram luz para as trevas na qual o povo de Judá estava vivendo. Se pensarmos que realmente foi lido o livro de Deuteronômio, então Josias ouviu acerca das palavras de condenação pelos pecados do povo. Do capítulo 4 ao 13 Josias pôde identificar o que o seu povo havia feito de errado, do 14 ao 18 ele ouviu sobre o que haviam deixado de fazer e do 27 ao 30 sobre o que Deus faria se o povo não se arrependesse.  Ao ouvir as palavras do livro, Josias rasgou suas vestes, uma reação que mostrava um profundo abalo, temor e tristeza.

Mais impressionante do que encontrar o Livro da Lei é pensar que um dia ele foi extraviado. É como se perder uma Bíblia em uma igreja e passar anos sem sentir a falta dela! E por mais impressionante que possa parecer, essa é uma realidade que temos vivido nos dias atuais como igreja. Vamos ser francos. Não é difícil constatarmos que somos cristãos que lêem muito pouco (ou quase nada) a Bíblia, que é Palavra de Deus. Também não é difícil concordar que passamos muito tempo sem consultá-la, inclusive quando vamos nos posicionar diante de algum assunto, ou quando vamos tomar decisões, ou quando precisamos de algum conselho. Se olharmos para nossa geração com honestidade, infelizmente vamos perceber que, se tratando da Palavra de Deus, temos nos contentado com muito pouco, uma espécie de dose homeopática de um conglomerado composto por camisas evangélicas, shows gospel e um vocabulário “evangeliquês” repleto de jargões superficiais que nos tornam cada vez mais alienados. Somos uma geração viciada em injeções de ânimo aplicadas dominicalmente na qual tentamos nos apoiar, obviamente não sendo suficiente para nos manter de pé por muito tempo. Somos a geração do relativismo onde tudo é possível e negociável – não existe certo ou errado e, se você insistir nisso, pode ser tachado de fanático ou, em alguns casos, até mesmo processado. É a geração do “nada a ver”, “depende”, “eu acho”.

Se entendemos que a Bíblia é verdadeiramente a Palavra de Deus, inspirada por Ele para ser um instrumento que nos possibilita ouvir a Sua voz e entender a Sua vontade, podemos dizer com toda certeza que não temos buscado Deus em nossas vidas como deveríamos e tão pouco temos vivido a Sua vontade de forma plena. Como nos tempos de Josias, perdemos a Palavra de Deus e isso tem ocasionado conseqüências trágicas em nossas vidas e ao nosso redor. E não se iluda, pois esta mesma Palavra tem sido esquecida até mesmo nos lugares onde ela parece estar em evidência. Teorias, achismos e modismos têm ocupado o lugar da exposição clara e objetiva da Palavra de Deus, dando espaço para a consolidação de heresias e aberrações dentro das nossas próprias igrejas! Poderíamos discorrer detalhadamente uma série de absurdos que temos visto, não muito longe, por conta do distanciamento da Palavra. Temo que sejamos uma geração de muito barulho que até arrepiam e emocionam, mas que pouco movem o mundo espiritual.

Há um clamor urgente nos dias de hoje: é tempo de encontrar a Palavra que se perdeu! Somente por meio dela teremos vida (João 6.63). A começar no particular das nossas vidas, é tempo de resgatar e viver segundo a Palavra de Deus. Onde foi que você a perdeu? Onde você a deixou? De repente ela está no meio dos entulhos da sua religiosidade. Quem sabe você tem vivido uma vida aparentemente religiosa, mas distante da vontade de Deus para você. É tempo de rasgar as vestes, como Josias o fez, diante de tanto tempo que temos passado distantes do Senhor. É tempo de permitir que esta Palavra nos conserte e nos corrija enquanto é tempo.

Vinde, voltemos ao Senhor! Voltemos a ouvir a Sua voz por meio da Sua Palavra!

(Continua…)

Thiago Pires (@bolotapires)

Anúncios

~ por ministerioentrejovens em março 17, 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: