Quem é o monstro?

Semana passada foi uma semana muito triste para todos nós. Adolescentes vitimados pelo monstro da educação pública precária, pelo monstro da política ineficiente de segurança pública e pelo monstro-psicopata que tirou deles a dignidade que restava: a vida. Aí me pergunto: o Wellington é o único monstro nesse episódio? Claro que não! Monstros são gerados por monstros! Aí eu me pergunto novamente: a habilidade bélica e o plano estratégico bem elaborado desse monstro veio de onde? A resposta é simples: veio do monstro chamado SOCIEDADE! O monstro-sociedade gera os monstros-psicopatas para depois puní-los! Além de ser esta uma atitude maligna, ela é também uma atitude hipócrita!

Não me interprete mal – eu não estou tirando a responsabilidade do Wellington, estou apenas dividindo esta responsabilidade, estou afirmando apenas que ele não agiu sozinho. A verdade é que cada um de nós contribuiu um pouquinho para o acontecimento dessa tragédia.

O Sr. prefeito da cidade do Rio de Janeiro está retirando o ensino religioso das escolas municipais e agora se pergunta onde estava Deus? O Sr. governador não investe e muito menos prioriza a educação e agora convoca os estudantes de psicologia para ajudar as famílias das vítimas? A Sra. presidente da república que não está nem aí para segurança da cidade “olímpica” agora fica jogando confete no policial-herói como se ele representasse o melhor da segurança nacional? O policial que estava melhorando seu salário fazendo sua blitz de cada dia agora ganha fama de “herói” por fazer a sua obrigação? A igreja que deveria ter saído das quatro paredes do templo para transformar esse monstro através do poder do evangelho agora o acusa de ter sido possuído por demônios? Os professores e padagogos da escola Tasso da Silveira que ignoraram esse aluno solitário vítima de bullying agora o chamam de criminoso? Os colegas da escola que zombavam dele o chamando de estranho agora o chamam de mau e cruel? A sociedade em geral que troca seus votos por dinheiro ou por favores políticos e que assiste toda essa patifaria política passivamente em frente a televisão assistindo BBB agora o chama de doente mental? Os artistas e empresários que vivem o mundinho da elite brasileira e que nem sabem onde fica Realengo agora o chamam de assassino?

É muita contradição ao mesmo tempo! Nesse conflito de contradições fica uma pergunta: QUEM É O MONSTRO? O problema é que enquanto houver monstros haverá também vítimas!

Pr. Gustavo Legal

Anúncios

~ por ministerioentrejovens em abril 11, 2011.

3 Respostas to “Quem é o monstro?”

  1. é ridiculo querer colocar a culpa na sociedade pra um marginal desses.
    quantos outros sofrem mais do q ele e não é por isso que saem matando.
    é ridiculo tirar o mérito do policial que impediu que matasse mais crianças.. e é ridiculo fazer um post querendo culpar quem lê, nem que seja “um pouquinho” como tu diz.. o cara era um psicopata.. e assim seria em qualquer lugar que vivesse.

  2. Acho que não devemos rotular a sociedade. E essa ironia com o policial?! Quer dizer que ele é corrupto porque tem vários que são? Ao que percebemos esse homem é fruto de vários descasos, entretanto, uma pessoa doente mental. O que não quer dizer que é fruto de uma sociedade de monstros. Acho que o Pr. deve ter mais cuidado com que fala em público e ainda mais a jovens e o vê muitas vezes como referência. Construir conceitos sobre pessoas é muito perigoso! Acho que deve falar sobre a Palavra de Deus!! E Thiago deve tomar cuidado em divulgar tal depoimento desnecessário.

  3. O caso de Wellington é um caso que precisa ser visto de uma forma bem mais abrangente do que simplesmente ao que a mídia expõe para nós. E é pra isso que fomos chamados, como Igreja. Para pensar, agir e interferir na sociedade que muitas vezes se manifesta como vítima, abafando com sua hipocrisia o seu grau de responsabilidade pelo que acontece e deixa de acontecer. Pregar a Palavra não é ficar no campo nas idéias, mas trazer as verdades das Escrituras para nosso tempo presente, confrontando quando necessário. Deus corrige a quem ama. Sem apego a detalhes, o testemunho do Pr. Gustavo Legal é um resumo do que pregou no último JFC, manifestando principalmente sua indignação com a hipocrisia da sociedade em meio ao caos e, inclusive, com a igreja que muitas vezes faz coro com o mundo rotulando um indivíduo de “monstro”, se abstendo de seu papel em levar a Palavra que transforma monstros em seres restaurados sem ao menos lamentar e chorar por aquele “monstro” ter sido morto sem salvação.

    A palavra incomoda e nem sempre é digerida com facilidade. A gente não coloca textos aqui para agradar a opinião pública, a gente põe aqui textos que edificam, que confrontam, que nos fazem pensar e agir para que um Evangelho de verdade seja pregado e vivido em nosso tempo. Nem todos precisam concordar, mas faz parte da democracia a exposição de pontos de vistas. E se a mídia tem direito de dizer o que quer, nós também temos.

    Custe o que custar o Entre Jovens vai continuar fazendo parte desse remanescente que está cansado desse evangelho “gospel” pobre, medíocre, superficial, hipócrita e explorador no qual o Brasil tem se apegado.

    Que a graça e o amor de Deus alcance a sua vida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: